Enem 2021: videoprova para surdos e deficientes auditivos será aplicada pelo 5º ano consecutivo

A videoprova possui o mesmo número, ordem e valor de questões da prova regular

Pelo quinto ano consecutivo, surdos e deficientes auditivos terão acesso ao recurso da videoprova em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A modalidade foi criada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na edição 2017, após uma série de estudos em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Desde então, o recurso é ofertado à comunidade surda que tem Libras como primeira língua. Em cinco anos, mais de 5 mil pessoas realizaram o Enem por meio dessa modalidade de prova.

A videoprova é apresentada em Libras e possui o mesmo número, ordem e valor de questões da prova regular. Apenas as questões de língua estrangeira moderna, não são integralmente traduzidas para linguagem de sinais. Nessas questões, somente os trechos originalmente em português são traduzidos para Libras.

Os participantes realizam a prova em um notebook, onde possuem acesso a DVDs, Caderno de Questões, Folha de Redação e Cartão-Resposta. A ordem da prova pode ser escolhida pelo próprio candidato.

A redação também deve ser escrita em português, mas possui uma matriz de correção específica, que leva em consideração as características linguísticas dessa população.

Em 2017, os participantes tiveram que dissertar sobre os “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. A intenção era ampliar a discussão sobre o tema.

Plataforma

Em 2018, o Inep criou a Plataforma Videoprova em Libras, na qual a modalidade de prova pode ser acessada em interface similar à adotada na aplicação. Atualmente, a plataforma é uma ferramenta fundamental na preparação dos participantes surdos e deficientes auditivos, que têm acesso aos enunciados e às opções de respostas das provas. Isso permite uma preparação mais adequada a esses participantes, inclusive com o acesso ao gabarito das provas disponíveis.

Acessibilidade

Desde o ano 2000, terceira edição do Enem, 17 anos antes da implementação da videoprova em Libras, o Inep já havia se operacionalizado para atender pessoas com necessidades especiais e passou a oferecer prova em braile, ampliada, auxílio para leitura e transcrição, além de tradutor/intérprete em Língua Brasileira de Sinais. Desde 2013, o Instituto publica os editais do Enem em Libras.

Acessibilidade digital

Na edição de 2021, o Enem Digital também contará com atendimento especializado e recursos de acessibilidade, entre eles o tradutor-intérprete de Libras. Os participantes que tiverem pedido de atendimento aprovado poderão realizar, por exemplo, prova ampliada e superampliada. Todos os participantes com atendimento especializado nessa versão do exame também contarão com a funcionalidade de prova com contraste.

Enem 2021

Ao todo, 3.109.762 pessoas tiveram as inscrições confirmadas no Enem 2021. O número corresponde ao total de participantes das duas versões do exame (impressa e digital). O Inep registrou 3.040.871 inscritos para a versão em papel. Para a modalidade digital, que teve as 101.100 vagas ofertadas preenchidas durante o período de inscrições, foram confirmados 68.891 participantes. As duas versões serão aplicadas nas mesmas datas: 21 e 28 de novembro. Cabe destacar que, nesta edição, ambas as versões terão itens de prova iguais e mesmo tema.

 

Leia também:

 

 

sistema de vídeo monitoramento

Anexos para downloads: