Rodoviários realizam passeata após agressão a cobrador

A agressão de um cobrador de 22 anos no dia 31 de dezembro no bairro Nossa Senhora Aparecida, zona Leste, traz de volta as discussões a cerca da segurança no transporte público da cidade. Por isso, motoristas e cobradores se reuniram e realizaram uma passeata na tarde dessa segunda-feira, 8. A categoria saiu do bairro Manoel Honório por volta das 16h, percorreu as avenidas Rio Branco e Getúlio Vargas, em direção à Câmara Municipal.

“Queremos mais segurança e que os casos sejam apurados com mais rigor para que os autores sejam punidos”, exclamou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sinttro), Vagner Evangelista.

Segundo o sindicalista, além das agressões por parte de usuários, o ato também quer pressionar o poder Público devido ao número de assaltos a ônibus. Segundo dados da Polícia Militar (PM), em 2017 foram registrados 80 roubos a coletivos. “Foi feito um grande investimento nas câmeras dentro dos ônibus. Então que elas sirvam para alguma coisa e auxiliem na identificação dos autores”, afirmou Evangelista.

O presidente do Sindicato afirmou, ainda, que cobrou da empresa auxílio ao funcionário e que isso não ocorreu. “Ele estava desacompanhado no hospital”, disse.

 

AGRESSÃO

No dia 31 de dezembro, o ônibus da linha 403 (Nossa Senhora Aparecida/Centro) atropelou um idoso, que veio a óbito no local, por volta das 18h. “Após o atropelamento, o motorista [46 anos] ficou abalado e o cobrador começou tomar as providências e ligou para empresa, resgate e PM. Uma senhora chamou o motorista para aguardar em sua casa enquanto o cobrador fazia as ligações. Ele ficou sozinho aguardando as autoridades quando os moradores chegaram e começaram a lhe agredir”, explicou Evangelista, que conversou com o trabalhador dias após o fato.

Depois das agressões, ele perdeu os sentidos e caiu no chão, e só se recuperou quando uma moça sacudiu o seu braço e disse “corre que você vai morrer”. “Ele se levantou e pulou o muro de uma casa. As pessoas continuaram a ameaçá-lo de morte e então, sem opção, ele subiu uma escada que dá acesso a uma laje e pulou de uma altura de cerca de 6m. Nesse momento, ele quebrou o tornozelo e ficou escondido até a chegada dos policiais”, relatou o presidente do Sindicato.

O cobrador foi encaminhado a UPA Norte após o caso. Dias depois, foi transferido para o Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), onde deve ser submetido à cirurgia nesta terça-feira, 9.

O motorista do coletivo foi preso em flagrante, porém já foi liberado. O caso será investigado pela 5ª Delegacia.

 

ESCLARECIMENTOS

Em nota, o Cinturb – Consórcios Integrados do Transporte Urbano de Juiz de Fora informou que “entende que já cumpre todas as prerrogativas do sistema que lhe competem, conforme licitação e determinações do gestor: viagens, pessoal, carros e sistemas, inclusive os de segurança, como bilhetagem, câmeras e outros. Os problemas de segurança pública fogem à sua alçada”.

Em relação ao acompanhamento do caso por parte da empresa, o Cinturb afirmou que “o gerente acompanhou o motorista na delegacia e tentou ajudar na transferência do cobrador para cirurgia pelo SUS. O acordo coletivo prevê atendimento ambulatorial pelo plano de saúde”, finalizou a nota.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: