Juiz de Fora: Operação combate tráfico de animais e lavagem de dinheiro

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Zona da Mata – unidade Juiz de Fora, em conjunto com as Polícias Militar e Civil de Minas Gerais e Polícia Rodoviária Federal (PRF), deflagrou na manhã de hoje, 20 de maio, a operação Angry Bird.

Os alvos da operação são acusados de integrar organização criminosa voltada para a prática dos crimes de tráfico interestadual de animais silvestres, maus tratos de animais, lavagem de dinheiro e comércio irregular de arma de fogo. Estão sendo cumpridos 13 mandados de prisão e de busca e apreensão em Juiz de Fora, Lima Duarte, Bias Fortes e Duque de Caxias (RJ).

As investigações comprovaram que os animais são capturados por caçadores profissionais em diversos municípios da Zona da Mata mineira e no Campo das Vertentes e, em seguida, entregues para os traficantes, que os comercializa com outros traficantes dos municípios de Duque de Caxias, Petrópolis e São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro, onde são vendidos em feiras livres.

Segundo apurado, a prática criminosa gera elevada lucratividade para os traficantes iniciais e secundários, que ocultam os recursos por meio da aquisição de veículos e imóveis. Além disso, ficou comprovado que a organização criminosa também participa do comércio de armas de fogo, as quais são utilizadas como moeda de troca no comércio clandestino.

Todos os alvos foram denunciados pelo MPMG e se transformaram em réus no processo nº 0026086-65.2021.8.13.0056 na 3ª Vara Criminal da Comarca de Barbacena, que expediu os mandados de prisão e de busca e apreensão.

A operação desta sexta-feira contou com a participação de promotores de Justiça e agentes do Gaeco, policiais do Batalhão de Polícia Militar de Meio Ambiente, do Comando de Operações Especiais da PRF de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, do Grupo de Patrulhamento Tático das Delegacias PRF de Juiz de Fora e de Petrópolis, do Grupo de Fiscalização de Transporte da Delegacia PRF de Juiz de Fora, policiais civis e penais de Minas, além de dois veterinários do MPMG e um do Centro de Triagem de Animais Silvestres do Instituto Estadual de Florestas.

As informações são do MPMG

%d blogueiros gostam disto: