Presidente da Usiminas apresenta resultado positivo e faz projeções para 2018

Wôlmer Ezequiel

Presidente da Usiminas, Sergio Leite, aponta números positivos na produção da empresa

Fernando Lopes

Diversas autoridades regionais e representantes de diferentes segmentos da sociedade participaram do encontro realizado com o presidente da Usiminas, Sergio Leite, na tarde desta sexta-feira (16), no auditório da Faculdade de Direito de Ipatinga (Fadipa).

O principal objetivo do evento foi apresentar os resultados da siderúrgica no último trimestre de 2017. Os dados divulgados na sexta-feira (9) revelam que as vendas aumentaram 22,3% em relação ao mesmo período de 2016. A produção de aço bruto entre os meses de outubro e dezembro de 2017 chegou à casa de 747 mil toneladas. A laminação teve um crescimento de 14,5% e chegou a produzir 1,1 milhão de toneladas.

Para Sergio Leite, a Usiminas está na melhor fase, deixando para trás as turbulências do período de recessão iniciado em 2008. “Nós atingimos um Ebitda acumulado de 2017 de R$ 2,186 bilhões. Se pegarmos o período da crise econômica internacional, este é o segundo melhor resultado da Usiminas. Este é um resultado muito auspicioso não só para a empresa, mas para toda a comunidade do Vale do Aço”, avalia o presidente.

Outro ponto levantado foi a amortização da dívida da empresa. Em janeiro deste ano, a Usiminas quitou US$ 180 milhões de seus débitos. Para 15 de março, a programação é saldar mais US$ 100 milhões. “Em 2016, fizemos a renegociação da dívida. O compromisso era retomar a amortizar em setembro de 2019. Começamos estas operações em dezembro do ano passado. Isso demonstra que geramos resultados que suportou essa decisão que tomamos de antecipar o pagamento dos débitos”, informa Sergio Leite.

Crescimento em 2018
Com indicadores econômicos mais favoráveis ao crescimento em 2018, o presidente pontua que, ao longo do ano, a Usiminas terá grandes desafios. “O Brasil tem uma perspectiva econômica boa para este ano. Temos a expectativa do crescimento da ordem de 3%. Os principais setores consumidores de aço também possuem perspectivas de crescimento. Então, temos que trabalhar muito e construir os resultados”, destaca Sergio Leite.

Acordo de Paz
Sobre a decisão dos dois grupos acionistas controladores da Usiminas, os grupos Nippon Steel & Sumitomo Metal e Ternium/Techint de assinar um
“acordo de paz” acerca da governança corporativa da Usiminas para o fim de litígios e eleição do CEO, Sergio avalia que as expectativas são resultados ainda melhores. “Era um conflito que durava mais de três anos. Agora estamos mais fortes. A repercussão do acordo foi imediata entre a equipe e as comunidades. O nosso próximo grande passo é a reabertura do Alto-forno 1, como planejado. As obras estão seguindo o cronograma”, destaca o presidente.

Eleição para CEO
Com o acordo entre Nippon e Ternium, a indicação para o cargo de presidente (CEO) e presidente do conselho administração (chairman) passa a ser alternado, a cada quatro anos. O grupo Ternium indicou Sergio Leite para permanecer no cargo de presidente e o nome de Ruy Hirschheimer é cotado pela Nippon para o cargo de chairman. Para Sergio, a indicação foi recebida com satisfação.
“Tenho relação com o grupo Ternium/Techint de décadas, assim como tenho com a Nippon. Tenho a certeza que os dois grupos estão felizes com a minha indicação”, conclui o presidente.


Encontrou um erro? Comunique: [email protected]

Pesquisar