PJF e lideranças de bairros oficializam lançamento do projeto “Rede em Alerta”

O projeto “Rede em Alerta” foi lançado oficialmente nessa sexta-feira (7), estabelecendo linha direta entre a Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), por meio da Defesa Civil da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e as lideranças das associações de bairros, com objetivo de minimizar eventuais transtornos causados pelas chuvas, através de informações rápidas e seguras dos sinais de alerta compartilhados via whatsapp. O encontro aconteceu na sede da Defesa Civil (Avenida Garibaldi Campinhos, 169 – Vitorino Braga).

Para o secretário de Segurança Urbana e Cidadania (Sesuc), José Sóter de Figueiroa Neto, “esse é um passo importante para a cidade, na garantia da segurança da população. O projeto ´Rede em Alerta`, além de monitorar as regiões mais críticas do município, chamadas ´áreas de riscos`, permitirá que, conjuntamente, o poder público e a sociedade civil organizada, através das associações de moradores, possam encontrar soluções mais rápidas, instantâneas, nos grandes episódios decorrentes das chuvas”.

O coordenador da Defesa Civil, Jefferson Rodrigues, explicou que o órgão recebe informações precisas de ocorrências de chuvas ou movimentação de massa do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden): “Por meio dos grupos de whatsapp, criados no ´Rede em Alerta`, será mais fácil e mais rápido, agora, divulgar essas informações. As lideranças de bairros compartilharão essas mensagens nos seus grupos previamente estabelecidos e, assim, será possível tomar medidas que possam evitar maiores danos”. O coordenador acrescentou que “os líderes de bairros passaram por treinamento e foram instruídos sobre como proceder após receberem o alerta”.

 

Para o capitão do Corpo de Bombeiros, Acácio Tristão, “o projeto é integrado por pessoas que têm legitimidade em divulgar os alertas, que são confiáveis, e isso reduz o compartilhamento de informações falsas, contribuindo para a tomada de precauções que possam evitar desastres e até perdas de vidas”.

A vice-presidente da União Juiz-forana de Associações Comunitárias de Bairros e Distritos de Juiz de Fora (Unijuf), Heloísa Helena Cabral, explicou que “os líderes comunitários têm conhecimento das áreas de riscos dos seus bairros e, com a chegada dos alertas, é possível agir mais rapidamente, de forma preventiva”.

 

“Rede em Alerta”

 

Em reuniões realizadas em dezembro de 2019, para a criação do “Rede em Alerta”, os líderes de bairros foram orientados pelos técnicos da Defesa Civil sobre como se comportarem quando receberem os alertas e o plano de contingência for acionado. E foram informados, também, sobre a criação de subgrupos no whatsapp, pelas lideranças de bairros, multiplicando o número de pessoas que receberão os alertas, principalmente do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Os encontros tiveram participação de lideranças dos bairros Aeroporto, Amazônia, Benfica, Bom Jardim, Centenário, Costa Carvalho, Democrata, Filgueiras, Francisco Bernardino, Grajaú, Grama, Graminha, Granbery, Granjas Bethânia, Granjas Bethel, Industrial, Jardim Esperança, Jardim Gaúcho, JK, Linhares, Mariano Procópio, Marumbi, Nova Era 2, Santa Clara, Santa Cruz, Santa Luzia, Santa Paula, Santa Rita, Santa Tereza, Santos Anjos, São Damião, São Judas Tadeu, Teixeiras, Vale dos Lírios e Vila Ozanam e do Distrito de Torreões.

Também farão parte do “Rede em Alerta” – a princípio, já que o número tende a aumentar – lideranças dos bairros Arco-íris, Cascatinha, Dom Bosco, Eldorado, Floresta, Jardim Casablanca, Jardim dos Alfineiros, Ipiranga, Jardim Natal, Lourdes, Mundo Novo, Nova Benfica, Olavo Costa, Poço Rico, Ponte Preta, Santa Cândida, Santa Cecília, Santo Agostinho, Santos Dumont, São Bernardo, São Geraldo, Vila Almeida e Vila Alpina.

 

Fonte: Assessoria

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

%d blogueiros gostam disto: