Condenados escolhem entre morte por cadeira elétrica ou fuzilamento nos EUA

Sem injeções letais, estado dos EUA obriga os condenados a escolherem entre cadeira elétrica ou fuzilamento

Na falta de drogas letais injetáveis, a Carolina do Sul, EUA, autorizou que condenados sejam executados por fuzilamento. O estado não possui os componentes necessários para produzir as injeções letais desde 2013. Haviam alguns dos medicamentos, mas perderam a validade e não foi possível comprar novos.

Segundo o Centro de Informações sobre Pena de Morte dos EUA, os estados de Utah, Oklahoma e Mississippi também permitem execução pelo pelotão de fuzilamento, cadeira elétrica e injeção letal.

O projeto da execução por fuzilamento foi aprovado com 32 votos a favor e 11 contra no Senado. Segundo o site “Unilad”, a aprovação vai dar continuidade a execuções que estavam adiadas por cerca de 10 anos.

As execuções atrasaram porque os presos escolhiam a injeção letal como método de execução. Eles sabiam que não estava disponível e teriam sua morte adiada. Mas, com essa nova aprovação do Senado, eles perdem essa vantagem. Se um presidiário escolher a morte por injeção letal e não houver no estoque, ele deverá se decidir entre a cadeira elétrica ou fuzilamento.