Casos de gripe e resfriado aumentam na região com tempo mais frio e seco

Wôlmer Ezequiel

A infectologista ressalta a importância da vacinação contra a gripe

O inverno se aproxima e, com ele, também aumentam os casos de gripe e resfriado. Nos hospitais da região o índice de pessoas com os sintomas das doenças relacionadas ao tempo frio já começa a subir. Contudo, existem formas para a prevenção e tratamento específico. A médica infectologista da rede municipal de saúde de Ipatinga, Carmelinda Lobato, destaca que gripe e resfriado apresentam sintomas semelhantes, mas com intensidades distintas.

“A gripe tem sintomas mais agressivos. Ela é causada, geralmente, pelo vírus Influenza A e provoca febre alta, muita dor no corpo, tosse com catarro, coriza e dor de garganta. Já o resfriado é causado pelo vírus sincicial respiratório e apresenta sintomas mais brandos, a pessoa não fica tão debilitada como na gripe”, pontua a médica.

Segundo a profissional da saúde, o tempo frio e seco resseca as vias respiratórias o que facilita a contaminação destas doenças. “O tempo frio é menos úmido, as mucosas do nariz, boca e todo aparelho respiratório ficam mais ressecadas, o que irrita as vias. Além disso, o frio deixa o movimento das células ciliares respiratórias mais lento e são justamente estas células que realizam a limpeza das vias respiratórias”, destaca Carmelinda.

Até o momento, a rede pública de saúde de Ipatinga não registrou nenhum caso de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), que é a forma severa da gripe. “Além do Influenza A, estão circulando no Brasil os vírus H1N1, H3N2 e Influenza tipo B. Não tivemos nenhum paciente com SRAG, que é a grande preocupação. Precisamos vacinar quem precisa e medicar as pessoas do grupo de risco para que não tenha esta evolução. Com a síndrome a pessoa fica com muita falta de ar, pulmão todo tomado pelo vírus e pode acarretar a morte”, pontua a médica.

Vacinação

O Ministério da Saúde anunciou, nesta semana, a prorrogação da Campanha de Vacinação contra a Gripe até o dia 22 (sexta-feira). Esta é a segunda vez que a ação é prorrogada devido a baixa adesão da população. O objetivo do órgão é atingir 90% do grupo prioritário. Nos municípios de abrangência da Superintendência Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, mais de 83% do público alvo já foi vacinado.

A infectologista salienta que a vacina não provoca gripe e que os efeitos colaterais são mínimos em relação aos benefícios. “As pessoas têm muito preconceito com as vacinas, mas é ela que tem salvado a vida de muita gente. Toda vacina pode gerar efeitos colaterais, mas não é uma gripe. A vacina é a única forma eficaz de prevenção contra a gripe, o SUS distribui para o público prioritário e quem não se enquadra pode procurar na rede privada, pois o preço é acessível”, afirma Carmelinda.

As doses da vacina contra a gripe estão disponibilizadas gratuitamente para crianças, idosos, gestantes, profissionais da saúde, professores do ensino básico e superior, indígenas e pacientes imunodeprimidos.

Medidas preventivas

Além da vacinação, outras medidas de cuidados podem auxiliar na prevenção de contágio com as doenças nesta época, como salienta Carmelinda. “Evitar aglomeração, como shoppings, shows. Quando for tossir não colocar a mão na boca, utilizar a lateral do braço ou um lenço e higienizar as mãos de imediato. Tomar muito líquido e manter uma alimentação adequada”, informa a médica.

Carmelinda alerta sobre a utilização das roupas de frio guardadas há muito tempo. “O inverno termina daí guardamos todas as roupas, só vamos usá-las quase um ano depois. Daí estas peças estarão cheias de mofos, poeira e, às vezes, não lavamos e isto acaba irritando as vias respiratórias o que tende o favorecimento da contaminação também. Tirou a roupa, lava e deixa secar ao sol para amenizar estes fatores”, afirma a médica.


Casos de gripe e resfriado aumentam na região com tempo mais frio e seco


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

%d blogueiros gostam disto: