Pai e filho são presos por crime ambiental e venda irregular de carne na Operação Conexão

Dois homens, pai e filho, foram presos nesta terça-feira, 17, na “Operação Conexão” da Polícia Civil em Uberlândia, em conjunto com a Receita Estadual, Procon e Vigilância Sanitária. De acordo com as investigações que tiveram início há seis meses, eles mantinham um esquema irregular de criação de gado em Área de Preservação Permanente (APP) região da Sobradinho e a suspeita é de que eles vendiam as carnes dos animais em um açougue da família.

Foram duas abordagens simultâneas: no açougue do Bairro Jardim Brasília e na fazenda na zona rural. No estabelecimento comercial a fiscalização apreendeu quase 300 quilos de carne fora dos padrões de higiene da Vigilância Sanitária e sem comprovação de origem. Na fazenda foram apreendidas 154 cabeças de gado e quatro cavalos. A defesa dos suspeitos não quis se pronunciar a respeito do caso.

O delegado da PC, Daniel Azevedo informou em coletiva com a imprensa que foram emitidas autuações tanto por crime ambiental, devido ao fato de os bovinos se alimentarem e beberem água na APP e pela falta de documentação necessária dos animais vivos e das carnes vendidas no açougue. O estabelecimento também não tinha alvará de funcionamento.

“O produtor rural tem inscrição estadual, mas não tem nenhum gado cadastrado em seu nome. Ele é dono de uma distribuidora de carnes e de uma casa de carnes e tudo leva a crer que aquele gado era para o abate. Não existe nenhuma nota, nenhuma guia de trânsito animal para aquela fazenda. Aquele gado estava em situação irregular. E na fiscalização do IMA foram constatadas irregularidades e aplicadas as multas.”

Na porta do açougue as autoridades afixaram cartazes de interdição

Oito agentes da PC e o delegado participaram da operação. No açougue foram encontradas carnes com manuseio incorreto, armazenamento inapropriado, sem data de validade e sem o carimbo de certificação de inspeção. Os homens, que não tiveram os nomes divulgados, foram encaminhados para o Presídio Jacy de Assis e passarão por audiência de custódia.

Os 270 kg de carne foram encaminhados para o aterro sanitário. Já os animais foram apreendidos e encaminhados para o Parque de Exposições Camaru, pois são objeto de crime ambiental. “Não há comprovação de origem. Deverão ser periciados. É fundamental que eles sejam periciados e apresentados às vítimas de furtos e roubos de gado na região para que se possa descartar a hipótese de receptação”, disse o delegado.

O crime de relação de consumo que coloca em risco a saúde pública, no caso a venda de carnes nos açougues, é inafiançável.

A Operação Conexão visa combater a criação de gado de forma irregular, possível receptação de gado e a criação extensiva que vem ocasionando crimes contra o meio ambiente.

Postado originalmente por: Portal V9 – Vitoriosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: