Em enquete, 59% dos participantes relataram ter um receptor com FM estendido (eFM)

Presença da faixa estendida está em diferentes dispositivos que sintonizam FM. Mas 41% ainda não tem acesso à nova faixa do dial

No final de 2021 o tudoradio.com manteve aberta uma enquete sobre a disponibilidade do eFM (faixa de FM estendida) para o público visitante do portal. Ou seja, foi perguntado para os radionautas se eles possuem algum receptor de rádio que seja capaz de sintonizar a nova metade do dial FM, agora iniciada em 76.1 FM e não mais em 87.5 FM. E para 59% dos participantes o eFM está disponível em seus receptores. O celular com recepção FM é um dos aliados da nova faixa, segundo o que aponta os participantes da enquete. Acompanhe:

Nas opções de “sim, tem um receptor de eFM”, o tudoradio.com dividiu a enquete em quatro opções para tentar mapear os tipos de dispositivos que estão auxiliando na popularidade da nova faixa. E para 17% dos participantes, o celular com FM é o único dispositivo que dá a possibilidade de ouvir FM a partir dos 76 MHz. O peso desses aparelhos aumenta, pois 14% dos radionautas afirmaram que para eles eFM está em mais de um dispositivo (novamente o celular com FM, rádio do carro e/ou receptor tradicional).

Já para 15% dos participantes o rádio automotivo é quem possibilita a recepção do eFM, peso que aumenta se considerar que essa opção também é realidade para aqueles 14 % que responderam “mais de um dispositivo”. E para 13% o receptor de FM tradicional é quem garantirá o acesso à nova faixa.

Há um caminho ainda para percorrer, o que é natural quando se trata de uma novidade e também pelo tempo em que o FM estendido passou a ser uma questão para fabricantes: 2017 é o ano da portaria do governo relacionada ao tema e 2021 é quando o brasileiro passou a contar com transmissões ativas em eFM. Com isso, 41% dos participantes da enquete afirmaram que não contam com um equipamento capaz de captar uma FM na faixa estendida (de 76.1 FM a 87.3 FM).

A enquete não tem metodologia científica e serve mais para testar possíveis cenários do eFM. Vale considerar que, apesar de boa parte dos participantes responderem que tem receptores com eFM disponível, não significa que essas pessoas terão uma emissora para sintonizar na nova faixa, já que ainda não serão todos os locais que receberão agora uma migrante AM-FM ou outra nova estação nesse canto do dial FM.

Porém o panorama de receptores com capacidade de captar o novo canto do espectro é significativo, pois pode representar um retrato de áreas importantes do país onde já existem eFM ativas, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, entre outros grandes centros.

Também vale recordar que, numa outra enquete realizada pelo tudoradio.com, 49% dos participantes acham importante que a migração AM-FM evite o uso do FM estendido, questionamento feito em 2019. Em resumo: é possível dizer que, dentro do ambiente de visitantes do tudoradio.com, o cenário de acesso ao eFM está superando a expectativa observada em anos anteriores.

Vale ressaltar que a enquete não conta com processo científico de avaliação, sendo apenas uma forma de saber como foi o comportamento dos visitantes do portal perante o tema proposto. O questionamento esteve em vigência entre a segunda quinzena de outubro de 2021 e a primeira semana de janeiro de 2022. E o número total de votos foi de 4.050.

As informações são do TudoRádio.

Foto ilustrativa: Pixabay

%d blogueiros gostam disto: