Relatórios apontam crescimento nas receitas de rádio e áudio para 2022

BIA aponta avanço aproximado de 6% para o mercado norte-americano. Já na Austrália, os dados de 2021 apontam um crescimento de 6,5%

O rádio continua acumulando crescimento em receita publicitária em diferentes mercados do mundo, se recuperando da queda observada em 2020, devido ao auge de fechamentos ocasionados pela pandemia da covid-19. O relatório da BIA (Advisory Services Local Advertising Forecast) aponta um avanço próximo a 6% em receita para o rádio dos Estados Unidos em 2022, com destaque para um patamar inédito alcançado com o digital. Já na Austrália, um levantamento de 2021 aponta que o rádio cresceu 6,5% em 2021, país que vive um forte avanço em investimento no áudio digital. Acompanhe:

O relatório da BIA fortalece as previsões anteriores sobre avanços no faturamento de rádio conforme a circulação de pessoas se normaliza nos Estados Unidos. Para 2022, a receita total do rádio aumentará para US $13,54 bilhões, superior ao valor de US $12,79 bilhões em 2021, ou seja, um aumento de 5,9%. O novo número estimado também aproxima o rádio da receita observada no período pré-pandemia, quando registrou US $14,16 bilhões em receitas no ano de 2019. Para se ter uma ideia da queda, o valor visto em 2020 (auge da crise econômica ocasionada pela covid-19) foi de US $11,03 bilhões.

A previsão da BIA também aponta um novo dado relevante para o setor de rádio nos Estados Unidos: pela primeira vez, a indústria de rádio vai faturar mais de US $2 bilhões em receitas digitais, com um total estimado em US $2,17 bilhões. Isso significa um aumento de 15,4% em relação ao valor de US $1,88 bilhão, registrado em 2021.

E do outro lado do Pacífico…

A recuperação de receitas do rádio também é observada em outros continentes, lembrando que cada região do planeta contou com dinâmicas distintas durante a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus. Na Austrália, a indústria de rádio avançou 6,5% em receitas no ano de 2021, segundo dados da SMI AU / NZ (Standard Media Index, relativos ao mercado australiano).

O mesmo levantamento aponta um avanço significativo em publicidade no áudio digital: na Austrália as receitas desse tipo de entrega de mídia avançaram 51,1% em 2021. Vale lembrar que esse formato é mais amplo, pois envolve qualquer iniciativa em streaming e podcasts (o rádio participa deste mercado). No total, o áudio avançou 9,5% no ano passado.

Os crescimentos percentuais do rádio e principalmente do áudio digital são bem superiores ao investimento publicitário em vídeo digital (4,5%). E o formato áudio (rádio e áudio digital) ficaram bem distantes de negativar na publicidade: a TV australiana recuou -8,4%, impactando no total vídeo (-7,8%).

No total, o avanço da publicidade em mídia na Austrália foi de 2,7% em 2021, ou seja, o rádio ficou acima desta média.

Qual a razão de olhar para lá fora?

tudoradio.com costuma observar esses pontos de curiosidade dos números do rádio internacional para mapear possíveis mudanças de hábitos e a manutenção do consumo de rádio em diferentes países. Assim como ocorreu no ano anterior, periodicamente a redação do portal irá monitorar o desempenho do rádio nos principais mercados do mundo e, é claro, fazendo sempre uma comparação com a situação brasileira. E, como de costume, repercutindo também qualquer número confiável sobre o consumo de rádio no Brasil.

As informações são do TudoRádio.

%d blogueiros gostam disto: