Defesa Civil de Ipatinga reavalia aluguéis sociais

Secom PMI

A reavaliação tem por objetivo checar se a situação de risco da antiga moradia continua prevalecendo

A Defesa Civil de Ipatinga reavalia os aluguéis sociais do município. Das 154 famílias que recebem o benefício e que foram convidadas para entrevista, 126 já compareceram, gerando relatórios com base nos esclarecimentos prestados. Os benefícios são concedidos para quem foi atingido por desastres naturais e encontra-se desalojado, conforme aferido pela Defesa Civil da cidade.

Conforme o governo, a reavaliação tem por objetivo checar se a situação de risco da antiga moradia continua prevalecendo e também esclarecer os motivos da falta de entrega da documentação exigida para liberação do benefício, com base na Lei Federal nº 12.608, de 10 abril de 2012, e Lei Municipal 3.221, de 4 de setembro de 2013.
Entre os casos que chamaram a atenção da Defesa Civil, nesta etapa da reavaliação, está o fato de alguns dos beneficiários do aluguel social já terem vendido os terrenos onde estavam localizados os imóveis, na época, considerados de risco.

Ainda, alguns dos beneficiários já não residem na cidade e há aqueles que, inclusive, moram atualmente em outro Estado e ainda recebem o dinheiro público.

Algumas das pessoas recebem o auxílio temporário desde 2005. Houve casos em que a própria família, ao ser convidada para a entrevista, solicitou o cancelamento do benefício. Também, alguns retornaram para suas antigas moradias após ter cessado o risco que gerou a desocupação dos imóveis.

Há registros, ainda, de dois beneficiários recebendo o aluguel social e residindo no mesmo local.
Em todas estas situações irregulares que vêm sendo comprovadas, o pagamento tem sido cancelado, assim como naqueles casos em que os beneficiários não compareceram à entrevista ou a Defesa Civil não obteve êxito em localizá-los por meio dos contatos fornecidos pelos beneficiários.

Além da entrevista, para execução do relatório uma equipe de técnicos da Defesa Civil, da qual fazem parte um engenheiro e uma assistente social, visitou os endereços das famílias beneficiadas.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br