Cuidados são necessários durante a colheita de café

No final de abril, em Minas Gerais, aumenta a movimentação de pessoas nas áreas rurais. É o começo da safra do café, produzido em cerca de 460 municípios, o que corresponde a mais da metade do total do Estado. Os trabalhos na colheita se estendem por mais de seis meses e geram muitos novos empregos no campo, inclusive para trabalhadores de outras regiões do país, que chegam com a perspectiva de melhorar a renda de suas famílias. Afinal, Minas é o maior produtor de café do Brasil, com aproximadamente 70% da produção nacional do arábica.

Para reduzir os riscos de disseminação da Covid-19 durante a safra do café, algumas medidas são necessárias para quem trabalha neste segmento, a exemplo da higiene pessoal e dos materiais utilizados, até normas de transporte das pessoas para as lavouras. Por exemplo, os veículos devem ser desinfetados, antes e depois das viagens, com uma solução de uma parte de água sanitária para dez de água. Nos alojamentos para os trabalhadores que vierem de fora, a distância mínima entre as camas deve ser de dois metros. E, nos refeitórios, talheres e copos devem ser descartáveis. Também há orientações específicas para o trabalho de colheita. Na derriça do café, seja manual ou com derriçadeiras, o ideal é que cada fileira seja colhida pelas mesmas pessoas, mantendo a distância mínima de dois metros entre os trabalhadores.

A preparação para uma colheita de sucesso também se inicia com a elaboração de um contrato de safra, exames admissionais, assinaturas das CTPS, formalização dos contratos de transportes dos empregados, caso os mesmos sejam terceirizados e a aquisição dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s). Além das providências vinculadas a formalização contratual, o empregador deve ainda observar outras questões que poderão ser objeto de multas e demandas judiciais.

É necessário reiterar o alerta às Vigilâncias Regionais, municipais e aos serviços de saúde sobre o risco de aumento do número de acidentes por animais peçonhentos nos meses de colheita de café, objetivando prevenir acidentes, desafogar os serviços de urgência/emergência, utilizar racionalmente os soros antivenenos e reduzir morbimortalidade.

Danilo Alves – Tribuna do Leste

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

%d blogueiros gostam disto: