Rodrigo Pacheco defende uma reforma responsável da Previdência

O candidato ao Senado por Minas Gerais, deputado federal Rodrigo Pacheco (Democratas), afirmou, durante entrevista concedida nesta quarta-feira (12), em Contagem, que defenderá a reforma da Previdência, tema que interessa à maioria da população brasileira, caso o projeto preserve direitos adquiridos. Pacheco, que participou de ato político ao lado de Antonio Anastasia e de Geraldo Alckmin, criticou a maneira como o assunto foi tratado pelo governo federal.

“Eu vou olhar com muita atenção para que não haja injustiças e para preservar direitos adquiridos das pessoas que já se aposentaram ou que estão prestes a se aposentar. Eu sempre critiquei a forma como colocaram a reforma da Previdência, colocando sobre os ombros dos aposentados e dos inativos a responsabilidade sobre esse caos financeiro do Brasil. O que não é verdade”, afirmou.

Rodrigo Pacheco declarou que a Previdência necessita de revisões nos casos que prejudicam o sistema como um todo.

“Obviamente que a Previdência tem que ter correções das distorções. Há aposentadorias muito precoces, há aposentadorias milionárias. Nós temos que combater os grandes privilégios no Brasil, inclusive no tocante à Previdência. Há privilégios a determinados setores que precisam ser revistos. Mas isso não pode atingir o cidadão comum”, salientou.

O candidato declarou que o país necessita passar pelo enxugamento de gastos, mas não à custa da população menos assistida pelo poder público.

“Há a necessidade de ser feito um pacote de austeridade que corte privilégios, que enxugue a máquina pública e, por outro lado, privilegie a atividade principal do estado, que é a educação, a saúde e a segurança para termos mais médicos, mais policiais e mais professores e menos quantidade de assessores, que não interessa à população”.

O candidato ressaltou ser o mais preparado para cuidar desse tema no Senado Federal em razão do seu conhecimento sobre o Congresso Nacional.

“Fui presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, sei exatamente como funciona o Congresso Nacional e o regimento da Casa, como podemos aprovar leis que interessem a Minas e ao país e para trazer para Minas os investimentos e para que o dinheiro cheque na ponta, para que não falte remédio no posto de saúde”, disse.

Pacheco disse conhecer a fundo os problemas de Minas Gerais, por já ter percorrido todas as regiões do estado, e frisou a necessidade da União não cortar ou diminuir programas sociais que atendem as pessoas mais carentes de Minas e do país.

*G.R (via assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: