Prefeitura faz adesão ao projeto InvestBH

Executivo aderiu também ao Codese

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) aderiu ao projeto da InvestBH, que visa à atração de investimentos para a capital mineira. Além disso, o Executivo também passou a fazer parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Estratégico de Belo Horizonte (Codese-BH).

Enquanto o “Fique em casa” foram as palavras de ordem há pouco mais de dois anos, agora é a vez da “Organização Econômica”. Fato é que quanto maior o desenvolvimento econômico de uma cidade, maior será a sua eficiência mundialmente. Belo Horizonte tem alcançado muito bem este quesito, mas é necessário garantir ao futuro a segurança econômica e de uma forma sustentável. Este assunto foi tratado nesta semana entre a Prefeitura e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), além de outras entidades interessadas, conforme explica o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Adriano Faria.

Na ocasião, a PBH assumiu a adesão como apoiadora de programas que promovem incentivo aos setores produtivos. Dessa forma, o poder público municipal passa a apoiar a InvestBH e o Codese-BH. Estes dois programas contemplam ainda iniciativas que visam à captação de investimentos para a Capital, elaborados por planejamentos voltados às questões de desenvolvimento urbano de suas economias e sociedade.

“O que se propõe com essas parcerias é que se trata de um movimento plural com vários atores. São iniciativas que não têm dono, que não pertencem a nenhuma entidade ou governo, mas que é uma proposta direcionada aos setores, para promover o desenvolvimento econômico da cidade, e obviamente colaborando com o desenvolvimento das empresas já instaladas no município”, conforme explica Faria.

Há pouco menos de um mês como titular da pasta, Faria explica que são importantes os desafios para que a cidade possa atrair novos players e  garantir complementaridade à atividade econômica. “O crescimento econômico sustentável é aquele que você potencializa os setores em que eles vão prosperar por muito tempo, tendo melhorias expressivas nas condições a curto prazo, mas com efeitos prolongados para o futuro”.

Para o secretário, Belo Horizonte carece de alternativas de políticas públicas que se estendessem ao desempenho econômico. “Entre todos os parceiros envolvidos, a parceria projeta a construção de um grande legado, que não tem curto, médio ou longo prazo. No entanto, ela começa agora, mas que propõe um legado para as pessoas que participarão dessas instâncias no futuro”.

A geração de renda, emprego e melhora da qualidade de vida das pessoas é outro ponto que foi enfatizado no encontro, conforme avalia o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. “É necessário políticas públicas que favoreçam o desenvolvimento socioeconômico. Com o apoio da Prefeitura teremos resultados mais rápidos”.

*Com informações do Diário do Comércio

Pesquisar