Polícia Civil revela novidades do caso do taxista brutalmente agredido na saída de baile funk

Voltamos ao caso do taxista Nilson Aparecido dos Santos, espancado na manhã de domingo, 9, após se negar a fazer uma corrida para seis pessoas, devido ao excesso de passageiros. Nilson levou vários chutes, em especial na cabeça, e ficou desacordado.

As marcas das agressões ainda estão no corpo do taxista. Ele teve vários ferimentos nos braços e na cabeça. Agora precisou ser internado novamente para passar por novos exames. As investigações se concentraram nos três agressores.

Danilo Henrique Fernandes, de 18 anos, Alexandre Ferreira Julião, 22, e um menor de 14 anos. Os três já são velhos conhecidos no mundo do crime. Danilo tem passagem por tráfico de drogas este ano. Já Alexandre tem passagem por receptação em 2015, roubo e tráfico de drogas em 2016, roubo em 2017 e tráfico de drogas este ano. O adolescente, que é quem começa as agressões, já foi apreendido por roubo em 2017 e tráfico de drogas em outubro e novembro deste ano.

De acordo com a PC, Alexandre aparece de camiseta escura chutando a cabeça do taxista. Várias pessoas presenciaram a ação criminosa e não fizeram nada para impedir. A polícia analisa as imagens e as pessoas serão intimadas para depor e podem responder por omissão.

 

Enquanto isso o motorista segue tentando se recuperar fisicamente e mentalmente da violência sofrida.

 

 

Três são presos por espancarem brutalmente taxista que se recusou a levar 6 passageiros

Postado originalmente por: Portal V9 – Vitoriosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: