Oito funcionários da Vale são presos por responsabilidade no rompimento da barragem em Brumadinho

lama-acumulada-em-brumadinho-pode-estar-contaminada-pela-leptospirose.jpeg

Oito funcionários da Vale foram presos na manhã desta sexta-feira (15), na região Metropolitana de Belo Horizonte, em uma operação do Ministério Público em parceria com as Polícias Civil e Militar, que investiga a responsabilidade criminal do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho. A operação foi desencadeada na região Metropolitana da capital mineira, São Paulo e Rio de Janeiro.

Na operação, são cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e oito de prisão temporária.

O Ministério Público de Minas Gerais informou que dos oito funcionários presos, quatro são gerentes, e os outros quatro são representantes das equipes técnicas. “Todos são diretamente envolvidos na segurança e estabilidade da Barragem 1”, afirma a nota.

Os oito presos são: Alexandre de Paula Campanha, Artur Bastos Ribeiro, Cristina Heloíza da Silva Malheiros, Felipe Figueiredo Rocha, Hélio Márcio Lopes da Cerqueira, Joaquim Pedro de Toledo, Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo e Renzo Albieri Guimarães Carvalho.

A nota ainda afirma que os mandados de prisão têm validade de 30 dias, “tendo em vista fundadas razões de autoria ou participação dos investigados na prática de centenas de crimes de homicídio qualificado, considerados hediondo”.

Em São Paulo, a polícia cumpre quatro mandados de busca. Os agentes apreenderam documentos em Osasco, município de São Paulo, e no bairro Vila Madalena, na capital.

Os funcionários presos, nesta manhã, não fazem parte do grupo de cinco funcionários que haviam sido presos no final do mês de janeiro.

Os presos serão ouvidos pelo Ministério Publico Estadual, em BH.

Por: Victor Veloso

(Com supervisão de Patrícia Marques

Anexos para downloads:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: