Neto é preso suspeito de tramar assalto ao apartamento da avó

Um rapaz de 19 anos, suspeito de tramar um roubo no apartamento da própria avó, foi preso em flagrante pela Polícia Militar junto com um casal de criminosos. O caso foi registrado nessa terça-feira (21), em um apartamento da Rua Tietê, no Bairro São Mateus, Zona Sul. A idosa, de 68 anos, foi rendida por três homens, que a amarraram com os braços virados pra trás, usando ataduras e barbantes.

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima contou que, antes do crime, seu neto a visitou e, como fazia regularmente, pediu dinheiro à ela para comprar cigarros. De posse da quantia, ele saiu. Todavia, um tempo depois, voltou batendo à porta chorando e dizendo que “não tinha nada a ver com aquilo”. Neste momento, os criminosos, que estavam atrás do rapaz, invadiram o apartamento. Um deles portava uma arma de fogo, que foi apontada para a moradora para anunciar o assalto. Um outro invasor começou a gritar que queria dinheiro e joias e, caso a idosa não os entregasse, ela seria morta. Depois de ser imobilizada, a idosa foi levada para o quarto, onde foi amarrada na cama. O neto dela também foi amarrado e colocado deitado no chão ao lado da cama. Os ladrões começaram a revirar toda a casa e a separar objetos como joias, televisão, relógios de punho e de parede, óculos e cerca de R$ 800. Esses materiais foram levados pelos bandidos, que usaram o próprio carro da vítima para fugir.

Ao chegarem ao local do crime, os policiais ouviram o neto da vítima. O rapaz contou que estava na casa da avó e que, após sair do apartamento pela garagem, teria sido abordado pelos três autores, que já se encontrariam no interior da garagem. Conforme o jovem, ele foi ameaçado com uma arma de fogo e obrigado a retornar para o apartamento da avó para que o assalto fosse concretizado.

Segundo o boletim policial, já durante o rastreamento a fim de localizar os autores do crime, os policiais conseguiram descobrir, por meio de imagens das câmeras de segurança do edifício, que, na manhã daquele dia, por volta das 9h, o neto da moradora havia acessado o prédio pela porta frontal e que, aparentemente, teria deixado a porta aberta, para, em seguida, os demais assaltantes entrarem, sem qualquer tipo de resistência ou ameaça. Tal situação levou os militares a suspeitarem do neto da moradora.
Ele foi novamente ouvido pelos policiais e confessou ter auxiliado na entrada dos assaltantes ao apartamento, uma vez que ele estaria devendo dinheiro, dívida adquirida no tempo em que permaneceu preso e utilizava um telefone no interior da cela para fazer ligações externas. Conforme o rapaz, ele vinha sendo ameaçado e foi coagido com arma de fogo, pelos demais autores, para o cometimento do crime. Com a ajuda dele, a dívida seria aliviada.

Identificação dos autores

O jovem ainda relatou que teria marcado um encontro, no Parque Halfeld, com os assaltantes, onde foi de livre e espontânea vontade para planejar a forma que iriam agir e como levá-los até a residência da avó. Ao ser questionado acerca de nome dos demais autores, ele afirmou que um dos assaltantes, de 29 anos, esteve preso juntamente com ele. O nome do suspeito foi passado para os policiais, que conseguiram, por meio de sistema informatizado, toda a identificação do homem e a informação de que ele tinha deixando a cadeia há poucos dias e estava usando uma tornozeleira eletrônica, sendo monitorado a distância.

Dessa forma, o paradeiro do suspeito foi descoberto. Ele foi localizado no Bairro Linhares, na Zona Leste, e admitiu ter participado do assalto e ter levado produtos do crime para sua residência. Todavia, o homem disse que não tinha informação sobre o destino do carro roubado, nem da arma de fogo e dos demais comparsas.
Durante a abordagem do suspeito, a esposa dele, de 34 anos, que passava pela rua, ao ver a situação, saiu correndo em direção ao imóvel do casal, onde começou a jogar diversos objetos através de uma janela. Ela foi abordada e capturada, uma vez que os materiais que ela jogava para fora eram parte dos pertences roubados na casa da idosa. Os policiais concluíram que ela era responsável por esconder os objetos roubados e encobrir as ações criminosas do marido. Ainda na residência do casal, a PM localizou as roupas que ele estava usando durante o assalto.

Diante a elucidação do roubo, o casal e o neto da idosa foram presos e conduzidos para a delegacia. O crime será investigado pela Polícia Civil. Os outros participantes do assalto não foram localizados. Mais tarde, o veículo de propriedade de vítima foi localizado e recuperado no Bairro Caiçaras, na Cidade Alta, onde estava abandonado às margens de uma via.

Por Tribuna de Minas – Juiz de Fora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: