Morre indiano que dizia ser o chefe da maior família do mundo

Indiano, que era diabético e hipertenso, deixa 39 esposas e 94 filhos no país asiático

Um homem de 76 anos, que tinha 39 esposas e 94 filhos e que afirmava ser o chefe da maior família do mundo, morreu no nordeste da Índia, conforme o ministro-chefe do país asiático.

Ziona Chana, chefe de uma seita cristã local que permite a poligamia, morreu no último domingo (13), declarou Zoramthanga, o ministro-chefe de Mizoram. Ele sofria de diabetes e hipertensão. Ziona tinha, também, 33 netos.

Com um total de 167 membros, a família é a maior do mundo, de acordo com a mídia local, embora isso dependa de se contar com os netos, dos quais Ziona tem 33.

Entretanto, Winston Blackmore, o chefe de uma seita mórmon polígama no Canadá, tem cerca de 150 filhos de 27 esposas – 178 pessoas no total.

Ziona vivia com sua família em uma vasta estrutura rosa de quatro andares com cerca de 100 quartos em Baktawng, uma vila remota em Mizoram que se tornou uma atração turística como resultado, de acordo com Zoramthanga. O local é conhecido como “Casa da Nova Geração”.

A enorme casa, com cem quartos, tem escola própria, playground, granjas de porcos e aves, arrozais, grande horta e oficinas de carpintaria. As mulheres são incumbidas de alimentar a família, e pode levar horas para preparar as refeições porque há muitas pessoas para alimentar. As viúvas dividem camas.

A seita, chamada “Chana”, foi fundada pelo pai de Ziona em 1942 e conta com centenas de famílias. Ziona se casou com sua primeira esposa quando ele tinha 17 anos e afirmou que uma vez se casou com dez esposas em apenas um ano.

Eles compartilhavam um dormitório perto de seu quarto particular, e os moradores locais disseram que ele gostava de ter sete ou oito delas ao seu lado o tempo todo.

%d blogueiros gostam disto: