Minas Gerais confirma cinco casos da variante Mu

Variante Mu pode indicar resistência às vacinas, conforme estudos da OMS

Minas Gerais registrou cinco casos da variante ‘Mu’, descoberta inicialmente na Colômbia. As informações foram divulgadas no painel da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), nesta sexta-feira (3).

De acordo com a SES, três casos foram identificados em Virginópolis e dois em Guanhães, ambos municípios do Vale do Rio Doce.

Vale destacar que a caracterização dessa nova variante foi realizada pelo Centro de Tecnologias de Vacinas (CT-Vacinas), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Até o momento, a SES e o Ministério da Saúde não se pronunciaram. Já o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, disse, durante entrevista ao quadro ‘Café com Política’, da rádio Super 91,7 FM, na quinta-feira (1º), que esta cepa não causa preocupação no Estado.

“Novas variantes são descobertas o tempo todo em estudos genômicos. A diferença é notar se é uma mutação isolável e não replicável. A UFMG, por exemplo, encontrou, em Belo Horizonte, uma cepa nova, mas ela foi muito pouco encontrada, foi uma achado sem relevância epidemiológica”, disse. “Entra a variante existir e se propagar, a diferença é grande. Na maioria das vezes, isso não aconteceu. Há várias cepas que surgem, o vírus muda muito”, completou.

Em relação a variante delta, foram confirmados 236 casos em Minas Gerais.

Resistência às vacinas

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os cientistas estão estudando se a nova variante do coronavírus tem mutações que podem indicar resistência às vacinas.

 

variante mu

Anexos para downloads: