Limoeiro tem ação contra o Aedes aegypti

Divulgação

O trabalho envolveu 22 agentes de combate a endemias e 6 agentes comunitárias de saúde

O Departamento de Zoonoses e Combate a Endemias de Timóteo realizou ação de bloqueio de transmissão vetorial no bairro Limoeiro nesta quinta (18) e sexta-feira (19). O trabalho envolveu 22 agentes de combate a endemias e 6 agentes comunitárias de saúde na visita aos domicílios. Três equipes com bombas de UBV costal motorizada fizeram aplicação de inseticida nos quarteirões, além do tratamento focal.

A Secretaria Municipal de Saúde registrou aumento dos casos de dengue e chikungunya mais concentrados na regional Leste, onde houve 170 notificações nas últimas 4 semanas (período de 17/12 a 13/01). Foram 26 casos no Recanto Verde, 13 na comunidade do Jardim Vitória, 15 no Alphaville e 116 casos no Limoeiro. Ao todo, o município tem 239 casos notificados.

A dona de casa Ana Maria Lima Tomaz, moradora do Limoeiro há 35 anos, teve chikungunya. Apesar de o quintal ser bem cuidado, vários vizinhos dela tiveram Dengue ou Chikungunya. Isso pode ser bem visualizado no mapa que a Vigilância em Saúde montou que associa o número de casos notificados aos respectivos endereços.

Segundo explicou a coordenadora da Zoonoses e Combate a Endemias, Josélia Bastos, “o mapa nos ajudou a identificar onde mora o perigo. Se as pessoas não mudarem os hábitos, como evitar o acúmulo de objetos no quintal, não teremos sucesso na nossa ação”, afirmou.

Uma moradora que não quis se identificar recomendou que a ação fosse realizada mais vezes e não somente nesta situação. Para ela, a sensibilização tem que partir de todos, sem nenhuma exceção. “Temos que ficar de olho. Inclusive, toda vez eu peço pra olharem. Estou sempre cobrando. E tem que cobrar, porque tenho filhos. Não é ser vizinha chata. Eu estou fazendo a minha parte e espero que os vizinhos estejam fazendo a parte deles também”, concluiu.

Denúncia

A recomendação da Secretaria de Saúde é que os moradores façam a denúncia dos locais irregulares. Agentes admitem que o morador faz o necessário quando vistoriam o imóvel, mas depois descuidam novamente. Quem não cuida de sua propriedade põe em risco a família e quem vive ao redor. Os agentes destacam que quando algum morador não está presente na visita da Vigilância, é importante que os vizinhos possam avisar sobre a ida do profissional e pedir que eles façam a vistoria, checar se não há espaço para a procriação do Aedes aegypti. O telefone para denúncias é: (31) 3847-7612, Departamento de Zoonoses e Controle de Endemias.


Encontrou um erro? Comunique: [email protected]

Pesquisar