Enem 2018: 1º dia de provas movimentou Muriaé neste domingo

Enem 2018: 1º dia de provas movimentou Muriaé neste domingo
Em Muriaé, o maior número de candidatos se concentra na Unifaminas

E.E. Engenheiro Orlando Flores, no bairro Dornelas

A última candidata a entrar na escola chegou 2 minutos antes do fechamento do portão

Escola Estadual Padre Maximino Benassati, bairro São Francisco

Houve provas também na E.E. Orlando de Lima Faria (Estadual), bairro São Francisco

Escola Estadual Dr. Olavo Tostes, na Barra

Neste domingo (4) mais de 4 milhões e 100 mil candidatos participaram do 1º dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 em todo o país. Em Muriaé, o movimento foi grande, com mais de 4.200 inscritos e provas na Unifaminas e em algumas escolas. Como todos os anos, milhares de pessoas, incluindo centenas de moradores de municípios da região, prestaram o exame na cidade.

No 1º dia de provas os candidatos tiveram 5 horas e 30 minutos para responder a 45 questões de linguagens, 45 de ciências humanas e escrever a redação com o tema "Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet". No próximo domingo (11), no 2º dia do exame, serão aplicadas as provas de matemática e de ciências da natureza, que incluem química, física e biologia.

De acordo com a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela organização do Enem, Maria Inês Fini, neste domingo (4) foi registrado o menor índice de abstenção desde 2009, quando o exame passou a ter dois dias de aplicação. Dos 5,5 milhões de inscritos na edição deste ano, 24,9% não compareceram. Conforme dados do Inep, 4.139.319 candidatos fizeram as provas neste domingo (4), e 1.374.430 inscritos faltaram.

Tentativa de fraude em Minas

Dois irmãos gêmeos de 22 anos foram presos em Montes Claros (Norte de Minas) no início na tarde deste domingo (4), suspeitos de tentativa de fraude no Enem. Os jovens foram detidos pela Policia Militar (PM), após serem flagrados com pontos eletrônicos, fios colados no corpo, documentos falsos e aparelhos celulares dentro da escola onde faziam as provas.

A Policia Federal (PF) abriu inquérito para apurar se outras pessoas estão envolvidas no esquema.

 

Fonte : Radio Muriaé / G1 / Estado de Minas

Postado originalmente por: Rádio Muriaé

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: