Em 5 anos, servidora do Dmae desviou mais de R$ 3,5 milhões em Poços de Caldas

A servidora demitida após confessar desviar dinheiro do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) em Poços de Caldas, teria desviado mais de 3,5 milhões de reais ao longo de cinco anos. A afirmação foi feita pelo diretor do DMAE, Paulo César Silva durante a sessão desta terça-feira,21, na Câmara Municipal, quando respondeu aos questionamentos sobre o desvio.

O diretor contou que o valor desviado é R$ 3.576.507,21 e que a Polícia Civil apura se a servidora possuía algum comparsa. A mulher confessou o desvio em outubro de 2021, quando começaram as desconfianças. Na época ela foi afastada e o caso começou a ser investigado.  Neste ano, a servidora foi exonerada do cargo.

O relatório feito pela Comissão de Sindicância apontou que o desvio começou em 2016, quando foram desviados R$ 166.188,74; no ano seguinte, a servidora desviou R$300.673,39; em 2018 foram desviados R$432.590,06, em 2019 a quantia desviada continuou aumentando, R$718.670,53; no ano de 2020 foram R$1.106.603,03 e em 2021 foram R$ 850.347,46.

Foi ajuizada a ação de ressarcimento erário público para que a mulher que trabalhava na tesouraria, devolva com juros e correção monetária o dinheiro desviado.  Os bens da servidora foram bloqueados e o passaporte foi retido.

As informações são do Portal Onda Poços, associado AMIRT.

Gabrielle Junqueira

Jornalista com experiência em produção de conteúdo para rádio, televisão, revista, portal de notícias e podcasts.

%d blogueiros gostam disto: