CNC estima que Auxílio Brasil injetará R$ 84 bilhões na economia

17,5 milhões de famílias começaram a receber o Auxílio Brasil em 2022, que tem o valor mínimo de 400 reais. E a expectativa é que, ao longo deste ano, esse dinheiro vá injetar R$ 84 bilhões na economia do país. A estimativa é da CNC, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Segundo a entidade, cerca de 70% desse recurso – ou R$ 59 bilhões – devem se transformar em consumo imediato, sendo R$ 28 bilhões no varejo, e os outros R$ 31 bilhões, no setor de serviços. O economista da CNC responsável pela pesquisa, Fabio Bentes, comenta o reflexo disso na população mais carente.

Tem gente que até vai conseguir guardar um pouquinho. A Confederação acredita que cerca de R$ 3 bilhões vão direto para a poupança. Mas, R$ 1,00 em cada R$ 4,00 distribuídos pelo Auxílio Brasil vai ter outro destino: pagar ou abater dívidas. Serão R$ 21 bilhões de reais para essa finalidade, aponta o economista Fabio Bentes.

O Auxílio Brasil é pago a famílias em situação de pobreza, com renda familiar per capita de R$ 100 a R$ 200; ou de pobreza extrema, para aquelas com renda de até R$ 100 por pessoa, e que tenham gestantes, mães que amamentam, crianças, adolescentes e jovens até 21 anos incompletos.

Para integrar o programa, é necessário que a família esteja inscrita no CAD Único, o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, e com os dados atualizados nos últimos dois anos. Para quem integrava o extinto Bolsa Família, nada muda, podendo ser usados os mesmos cartões e senhas, até que novos cartões sejam emitidos.

As informações são da Agência Brasil.

Foto ilustrativa: Pixabay

Anexos para downloads:

%d blogueiros gostam disto: