Casos de dengue, zika e chikungunya diminuem em Coronel Fabriciano

Divulgação

Técnica alerta que fumacê é mecanismo contra mosquitos adultos e não dispensa cuidado com as larvas em locais com água parada

A Secretaria de Saúde de Coronel Fabriciano divulgou relatório da sétima semana epidemiológica de 2018. Os dados demonstram que as notificações de dengue e chikungunya diminuíram significativamente nos bairros atingidos pelo lançamento de inseticida Ultra Baixo Volume (UBV), também conhecido como fumacê.

No total, foram registrados 35 casos de chikungunya na última semana, enquanto na penúltima foram 69 e, na anterior, 109 casos notificados. Já em relação à dengue, os números são 61, 36 e na antepenúltima, 91 no total. Do início de janeiro até agora, a Secretaria Municipal de Saúde registrou 347 casos de dengue e 443 de chikungunya. O recesso do feriado do Carnaval pode ter impactado no número de notificações da penúltima semana.

Os bairros Manoel Maia, Frederico Ozanan, Judith Bering e Santa Cruz estão entre os locais que apresentaram os dados mais preocupantes nos últimos relatórios, mas após as ações demonstraram os resultados mais positivos. O controle do mosquito Aedes aegypti nestes locais também foi feito com o UBV Costal pelos agentes de endemias, e pelo UBV Pesado feito pelo fumacê. As atividades de limpeza dos córregos, mutirões, visitas dos agentes de endemias nas residências e também a aplicação das armadilhas Ovitrampas para o estudo dos bairros com mais incidência de insetos auxiliaram para atingir os locais mais emergentes.

A Gerente de Vigilância em Saúde, Vânia Tavares, destaca que o carro fumacê é um dos mecanismos usados exclusivamente para os mosquitos adultos. Assim, os cuidados diários para evitar os focos ainda devem ser feitos pelos moradores. “Os depósitos de água parada com larvas ou pulpas não são atingidos pelo UBV pesado, então, em três a quatro dias esses ovos podem eclodir e o mosquito continuará se proliferando” ressalta.

O município continuará realizando atividades para o combate do vetor da Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela, como: manejo ambiental, borrifação do UBV costal dentro dos domicílios, visitas contínuas dos agentes de endemias e a continuação do carro fumacê de acordo com os bairros com mais notificações de arboviroses.


Encontrou um erro? Comunique: [email protected]

Pesquisar