Bombeiros de SJDR compõe equipes de resgate em Brumadinho

Após o rompimento da barragem em Córrego do Feijão distrito de Brumadinho, no dia 25 de janeiro, o comando geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais solicitou reforços da região para trabalharem em busca dos desaparecidos. De São João del-Rei, dois bombeiros participam dos resgates. De acordo o tenente Jaime Tomaz, da 2ª Companhia Independente do Corpo de Bombeiros que abrange as cidades de São João del-Rei, Barbacena e Conselheiro Lafaiete, um total de 10 militares dessas cidades se juntaram as demais corporações para atuarem no distrito.
Ainda segundo o tenente, a escolha dos dois militares de São João del-Rei ocorreu devido a uma formação específica que eles possuem. “A prioridade do Comando Geral agora, é ter nas áreas de busca, militares com uma formação específica no chamado Curso de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas. São bombeiros altamente treinados para fazer os trabalhos em Brumadinho”.
A equipe saiu de Barbacena na madrugada de sábado, 27, e a previsão era que na última quarta-feira, 30, o Comando Geral pediria mais reforços da região. Entretanto, até o fechamento desta edição na quinta-feira, 31, nada ainda havia sido repassado.

Rompimento de barragem ocorreu na tarde do dia 25 de janeiro - Foto Comando Geral do Corpo de Bombeiros de MG Divulgação

Rompimento de barragem ocorreu na tarde do dia 25 de janeiro – Foto Comando Geral do Corpo de Bombeiros de MG Divulgação

AÇÃO
A juíza Perla Saliba Brito tomou duas decisões que envolve o rompimento das barragens do Córrego do Feijão, em Brumadinho. A primeira, determinou a prisão de três funcionários da Vale e dois engenheiros de uma empresa alemã que fez a avaliação da barragem. A outra decisão, foi por causa de uma ação impetrada na Justiça pelos advogados são-joanenses Robson Paiva Zanola, Pryscilla M.K.M El-Corab e Júlio César dos Passos, que se refere ao resgate de animais. Em liminar, foi determinado que a Vale vai contratar equipe especializada, veículos, maquinários, alimentação, medicamentos e tudo o que for necessário para resgatar os animais que estão atolados e agonizando na lama dos rejeitos em Brumadinho (MG). Caso a empresa não cumpra a decisão, foi estipulada uma multa diária de R$50.000,000.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: