Ação social vacina cães de rua contra cinomose

Com a chegada do inverno as pessoas ficam com mais probabilidade de terem doenças respiratórias e com os animais não é diferente, tendo uma doença como a principal ameaça neste período – a cinomose. Pensando nisso, voluntários em prol da causa animal, castração de animais de rua e adoção responsável, conhecidos como “Pet Carinho”, vem promovendo a vacinação de cachorros de ruas em diversas localidades de Manhuaçu.

Grupo de voluntários da entidade “Pet Carinho”

Segundo a voluntaria Iraci Ferraz, os colaboradores semprfazem o pedido de doação para a causa através do Facebook. Ela afirma que está tendo um surto de cinomose na cidade e com isso os animais de rua ficam mais vulneráveis a doença. Pensando nisso ela e a outra voluntária Vanuzia Fernandes tiveram a iniciativa de criar uma campanha pela internet intitulada “Doe 15 reais e ajude a vacinar um cachorro de rua”.Elas conseguiram doações para vacinar 40 cachorros de rua e na tarde terça-feira, 09, saíram para vacinar os animais. “Primeiramente gostaríamos de agradecer as pessoas que nos ajudaram. Nós não somos uma ONG, somos um grupo de voluntários em prol da causa animal, castração de animais de rua e adoção responsável. Não temos verbas ou ajuda de algum órgão. A cada resgate que fazemos contamos com ajuda e solidariedade das pessoas. Nosso grupo chama Pet Carinho, e quem puder nos ajudar é só entrar em contato pelo Facebook ou instragram @somospetcarinho”, disse.

A Vanuzia Fernandes esclarece que a cinomose tem cura, mas é uma doença grave e muitas vezes fatal causada por um vírus chamado CDV (na sigla em inglês). Ela afeta animais do grupo dos canídeos, como cachorros, raposas e lobos, e ataca diversos sistemas do corpo. As formas de transmissão da cinomose mais comuns são pelo ar, pelo contato com a secreção do nariz ou da boca dos animais com o vírus da cinomose (presente em todas as secreções do animal) e pelo contato com ambientes e objetos contaminados. “Todos os cachorros podem pegar cinomose, mas alguns tem chances maiores de desenvolver a doença, principalmente animais mais jovens (entre 3 e 6 meses de idade). Outros podem contrair o vírus CDV sem nunca o manifestar; no entanto, continuam sendo fonte de contaminação para cães e demais animais. Cinomose tem cura, mas o vírus tem alta taxa de mortalidade e pode deixar sérias sequelas”, disse.

Enquanto políticas públicas ampliando o suporte aos animais carentes e de rua não são implementadas no município, a ideia pode servir de inspiração para que outras equipes e empresas se unam para ajudar animais de outras áreas necessitadas. É importante lembrar que a multiplicação dos que ajudam não deve ser pretexto para o aumento dos abandonos. Pessoas envolvidas fazem ações sociais quando podem ajudar e não são obrigadas a arcar com a irresponsabilidade de quem descarta ou negligencia animais. De acordo com a lei brasileira, abandono e maus tratos a animais é crime. A pena prevista pelo Art. 32 da Lei de Crime Ambientais é de detenção de 3 meses a 1 ano e multa. A pena prevista pelo Art. 164 do Código Penal é de detenção, de 15 dias a seis meses, ou multa.

Danilo Alves – Tribuna do Leste

Postado originalmente por: Tribuna do Leste – Manhuaçu

%d blogueiros gostam disto: