“A prefeitura é culpada”, aponta Kalil em coletiva sobre a proibição de público nos estádios

Kalil garantiu que novos estudos serão realizados, mas não se posicionou sobre um futuro retorno de público nos estádios

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (23) para falar sobre a proibição da presença de público nos estádios da capital.

Durante a entrevista, Kalil garantiu que foi uma iniciativa da prefeitura realizar os eventos-teste e assumiu a culpa diante da situação. “A prefeitura não é partícipe. A prefeitura é culpada”, afirmou o prefeito.

Com relação a um futuro retorno das torcidas, o prefeito apontou que ainda será feito estudos e só terão alguma posição após 15 dias. “Nós temos que estudar mais protocolos. Não podemos correr esse tipo de risco”, disse. 

O secretário Municipal de Saúde, Dr. Jackson Machado, também participou da coletiva e destacou quais medidas serão tomadas para identificar o impacto causado na pandemia. “Nós temos um cadastro de todos os frequentadores do estádio, dos dois eventos.  Então, nós vamos conseguir nas próximas duas ou três semanas comparar os CPFs de quem está internado ou testou positivo com quem estava no estádio. A gente tem como saber qual vai ser o impacto dos dois eventos no perfil epidemiológico da pandemia”, ressaltou o secretário.

Além disso, Machado apontou que todos os testes serão auditados. “Nós vamos estudar e auditar todos os testes  que foram entregues, porque a Minas Arena reteve os resultados dos exames. Então, nós vamos conseguir auditar esses testes e saber se foram fidedignos e responsabilizar aqueles que, por ventura, não tenham cumprido o protocolo como devido”, encerrou. 

Para finalizar, Alexandre Kalil ressaltou que “a cidade de Belo Horizonte tem o número de mortes, se é que existe isso, aceitável” foi porque a Prefeitura se manteve muito firme. “Não tenho a menor dúvida que breve a vida tende a voltar, desde que nós continuemos a respeitar os protocolos de distanciamento e vacinação”, concluiu o prefeito.

Foto: Rodrigo Clemente/PBH

kalil